Sustentabilidade

Melhoramento das plantas para otimizar o uso da água

Por Robert Bensen, Ph.D., Trait Genetics Lead, Syngenta.

Os agricultores pensam em água todos os dias, não só porque é necessária para conseguir boas colheitas, mas também porque é claramente um recurso imprescindível. A este facto acrescentamos outro: o mundo precisa de produzir mais alimentos com um recurso que sabemos que é finito. Este paradoxo é uma motivação especial para os investigadores na Syngenta, pois a nossa missão é ajudar a tornar as culturas agrícolas mais eficientes, um dos seis compromissos do nosso plano global de sustentabilidade – The Good Growth Plan .

Uma das tecnologias que está claramente focada na melhoria da eficiência das culturas são os novos híbridos de milho otimizados para reduzir o uso de água, os denominados Agrisure – Artesian©. Estes híbridos utilizam a água de forma mais eficaz, ajudando os agricultores a gerir melhor a imprevisibilidade do clima.

Os híbridos com tecnologia Artesian resultam de um processo de investigação e desenvolvimento que permite hoje em dia aos investigadores selecionar genes de origem natural no milho que se comprovou que ajudam a planta a regular o uso da água. Dado que a seca provoca um tipo de stresse muito complexo nas plantas, desenvolver milho que otimiza o consumo de água exigiu que estudássemos em detalhe a forma como este stresse hídrico afeta o milho a nível genético. Ao fazê-lo, identificámos múltiplos genes (originais da planta de milho) que ajudam a planta a gerir a água durante todo o seu ciclo. Estes genes foram posteriormente multiplicados em híbridos de milho, resultando numa cultura mais eficaz quanto ao consumo de água.

Quando estes híbridos foram estudados em mais de 1.000 ensaios em 2012, não fazíamos a mínima ideia de que nesse mesmo Verão teríamos uma das piores secas das últimas décadas. Estas condições extremas puseram à prova os nossos híbridos. Nas piores condições, a produção foi quase 50% mais elevada do que com outros híbridos.

syngenta-corn2-657x400

Híbrido de milho Artesian à direita – Slater, Missouri (2014)

Se bem que a seca nas campanhas seguintes foi menos severa, a falta de chuva continua a afetar os agricultores anualmente. Não é necessária uma seca extrema para afetar negativamente a produtividade das culturas, a falta de chuva em determinadas fases do ciclo também pode ter efeitos negativos. Os híbridos Artesian contêm vários genes que ajudam a planta a suportar este tipo de cenários.

Há uma grande diferença entre a otimização da água nas culturas e a tolerância das mesmas à seca. Quando falamos de tolerância à seca, referimo-nos a uma estratégia defensiva contra o risco de seca, frequentemente à custa de uma produtividade superior em condições ótimas de crescimento. Mas com a otimização da água, que definimos como a maior disponibilidade de água para o crescimento do grão, os agricultores que produzam este tipo de híbridos serão menos afetados em qualquer tipo de situação.
Estas tecnologias de hibridização do milho otimizado permitiram um grande avanço. Abrem-nos ainda mais as portas para continuar a investigar a edição do genoma de modo a que possamos ir introduzindo com precisão as características desejadas nas culturas de forma mais rápida e eficaz.

Deixe um comentário